Arquivo da tag: Design

Se de médico e louco todo mundo tem um pouco, será que de designer, também ?

Por Arq. Flavio Westmann para SerImovel –  28/06/2018

Uma pergunta usando trocadilhos conhecidos,  mas com muita propriedade.   E sabe por que?

Porque, todos nós, seres humanos somos potenciais criadores e de forma consciente ou inconsciente, exercemos esta atividade o tempo todo…

De fato, é esta atividade criativa que nos diferencia dos demais seres. A capacidade de analisar, ponderar, refletir, buscar e propor soluções que resolvam, facilitem, organizem e auxiliem a resolução de questões diversas.

É esta habilidade que permitiu e permite nossa sobrevivência e desenvolvimento, independentemente de condições adversas naturais, ambientais ou sociais…

Seja em soluções práticas no dia a dia ou em questões mais elaboradas aí  está ele… o design.

Com certeza, você irá se lembrar de alguma solução  que criou de modo bastante peculiar para resolver um determinado problema, ainda que, seja a famosa “gambiarra” tão conhecida de nós, brasileiros, bastante criativos e acostumados a driblar tantas adversidades…

Quem nunca usou um pequeno clips, grampo, arame, elástico, fita, etc para solucionar alguma ocorrência ou necessidade mais imediata ? E, em matéria de casa e culinária, então… imagino quantos  “decoradores” , “paisagistas”,  “arquitetos” , “engenheiros” e “chefs” estão por aqui…

Enfim, o processo de design para resolução de soluções mais  complexas não é muito diferente…

O design em seu conceito mais amplo, pode ser visto como um processo que permite elaborar de forma organizada uma série de reflexões sobre um dado problema, que serão devidamente analisadas e estudadas para propor soluções que possam gerar ideias , conceitos, propostas, protótipos e depois serem implementadas de alguma forma, seja através da criação de um objeto, de um desenho ou de um sistema. Pode, ainda, estar voltado para questões totalmente físicas, concretas e materiais  ou permear esquemas mais abstratos como sistemas sociais, culturais e filosóficos.

Somados a estes aspectos a análise do passado e do presente com vistas para o futuro,  estaremos falando, então,  do design como poderosa ferramenta de inovação…

Atualmente, uma ampla corrente de profissionais enxergam no processo do design um caminho bastante palpável para a resolução dos mais variados temas e complexidades da nossa era.

Particularmente, de forma intuitiva,  eu já vinha  estudando desde 1991, ao elaborar um trabalho acadêmico denominado “Arquitetura Holística”*¹ se seria possível resolver questões complexas em arquitetura através de um processo com uma visão mais abrangente. Isso  incluía relacionar questões que ultrapassavam em muito os limites das necessidades mais imediatas para tecer e desenhar uma trama de inter-relações e, que ao final do processo criativo,  resultasse em um desenho capaz de solucionar e englobar a grande maioria das questões levantadas.

Ao longo de minha carreira, também, testei a aplicação deste mesmo processo na solução de questões ligadas a outros setores, que não tinham como finalidade a criação de um objeto físico, como coordenação de vendas, elaboração e treinamentos de equipes e estruturação de negócios e tive resultados muito interessantes.

Atualmente, uma ferramenta denominada “Design Thinking“ *²,  que se aproxima muito desta minha experiência intuitiva profissional com o uso do design na solução de problemas tem ganhado muito destaque no mundo todo.

Acredito que vivemos em uma confluência de mudanças, onde tecnologia, ciência e informação  estão alterando a velocidade e a forma de comunicação e interação entre pessoas e coisas e consequentemente a visão de mundo. Necessitamos de um olhar mais holístico, mais abrangente e mais integrado para solucionar  as questões que este novo mundo apresenta… e o design é uma das ferramenta que tem em seu DNA esta forma de olhar e de análise.

Mas, voltemos aqui, a como nós desenhamos soluções o tempo todo, seja através de uma simples gambiarra com o clips, a criatividade em nossos afazeres domésticos, as soluções em nossas atividades profissionais e  inovações na forma de conviver e sobreviver…

Mais do que nunca, simplesmente por existirmos neste novo mundo integrado, Independentemente da profissão, da atividade, ou de outras questões, somos capazes de criar, alterar e propor novas realidades, que somadas,  alterem desenhos sociais, políticos  e culturais.

E, mais do que tudo, somos designers de nossas próprias vidas, seres pensantes, capazes de elaborar, propor, modificar, intervir, solucionar e inovar…

Então, eu respoderia a pergunta inicial… SIM !!! Se de médico e louco todo mundo tem um pouco, de designer, também.

Arq. Flavio Erwin Westmann para “serimovel”  28/06/2018

Flavio Westmann é Arquiteto, Eng. Civil e Designer em Soluções Holísticas. Gerencia e produz conteúdo para os blogs SerImovel, HolosArquitetura, Cair na Estrada e Sense By Ana Claudia.

Referências:

*1 WESTMANN, Flavio Erwin . Arquitetura Holística. 1993. TGI,Mestrado(F.A.U Mackenzie/USP, São Paulo )

*2  O termo design thinking foi criado pelo designer americano David Kelley, que passou a aplicar a metodologia de trabalho dos designers em todos os aspectos dos negócios de uma empresa. Kelley, fundador da consultoria IDEO e hoje à frente da Escola de Design Thinking da Universidade de Stanford.

O estande – uma viagem mágica entre o “espaço” e o “lugar” …

O estande –  uma viagem mágica entre o “espaço” e o “lugar”…

Por Arq. Flavio Westmann para SerImovel – 03/11/2016

foto-1-materia-serimovel-estande-1

Quem já passou pela experiência de buscar um novo imóvel, com certeza, em algum momento, teve a experiência de conhecer um estande de lançamento, ou para quem não está acostumado o chamado  “imóvel na planta” …..

Neste local, somos capazes de assumir a aquisição de um dos maiores sonhos de nossas vidas, cujo valor e prazo de pagamento,  na sua maioria, representam anos e anos de muito trabalho….

E, o mais incrível, é que, neste momento da compra, ele, absolutamente, ainda, “não existe”…ao menos no mundo “concreto”….

Como transformar um “terreno vazio” , onde ás vezes, nem conhecemos a  região e chegamos com o “Waze” em uma referência de um futuro “lar” …

Pois bem, já reparou que ao entrar em um plantão, alguns dos primeiros painéis visíveis que o corretor lhe apresenta localizam o terreno em relação ao bairro, a região e muitas vezes até em relação a cidade(dependendo da envergadura do empreendimento)…

Também, costumam indicar as principais referências em termos de transportes, comércio, serviços e cultura… e, desta forma, você começa a “sentir” que aquele local, já é, um pouco mais familiar, passando a ter  dimensão das distâncias entre  seu trabalho, seus parentes, suas atividades sociais, recreativas e culturais.

Chamamos a isto de sua localização no macro da cidade….

foto2-materia-serimovel-estande-2

* Foto da maquete de localização Macro do empreendimento New Way –  Flavio Westmann

Um pouco mais a frente, o corretor lhe apresenta uma grande maquete, mostrando em detalhes o volume da edificação, a fachada os recuos, os materiais, os acessos, as áreas  de lazer externas (até internas) e o paisagismo…Tem até um homenzinho sentado no jardim e outro de pé no terraço…e, desta forma,  você começa a ter referências da escala do empreendimento, se desligando de que está, apenas, em um terreno vazio……

foto-3-materia-serimovel-estande-3

*foto da maquete no empreendimento “Jardim das Perdizes” – Flavio Westmann

foto-4-materia-serimovel-estande-4

*Foto da maquete do empreendimento Time no Jardim das Perdizes – Flavio Westmann

Nesta pequena viagem, o corretor passa a lhe mostrar vários quadros com  imagens em perspectivas internas das áreas  da edificação como : hall de entrada, espaço gourmet, academia, praças e outras.. Neste ângulo de visão você já é o usuário e está inserido na edificação. A  seguir, lhe encaminha para as  plantas e perspectivas  das unidades com desenhos em detalhes da sala, terraço, cozinha, dormitórios e todos os espaços pertinentes….

A esta altura, no caminhar do macro para o micro, você tem apenas um desejo restante : entrar na “casa dos seus sonhos”….., é quando, então, o corretor lhe convida para conhecer o apartamento “decorado”…..

Na entrada, já tem uma visão ampla da sala, da luz que vem pelo terraço, da integração da cozinha, do conjunto da mobília e da amplitude do apartamento…

Começa, então, a percorrer a sala e reparar em uma linda mesa de vidro preparada para um jantar para 6, 8, 10 pessoas… que a cozinha está integrada com uma bela ilha de granito com um “cooktop”…  e, que ao lado tem uma aparador, uma sala de estar com uma deliciosa “chaise long” em frente a um rack com uma TV de Led……e vai circulando….

foto-5-materia-serimovel-estande-5

*Foto do apartamento decorado pela Arq. Fernanda Marques – Jardim das perdizes – Flavio Westmann

Entra no terraço gourmet, onde  uma bela churrasqueira divide o espaço com uma bancada de um lado e na outra ponta vários vasos  com plantas, flores e até uma grande rede lhe convida a repousar um pouco…

Percorre os dormitórios, os banheiros… e, assim, vai se deliciando com espaços preenchidos por objetos conhecidos : armários, camas com lençóis arrumados, espelhos, estantes com livros, quadros, tapetes…., tem até bonecas e carrinhos nos dormitórios das crianças.

Em determinado instante, começa a tocar alguns objetos, que lhe chamam a atenção pelo volume, pela textura…, quando não, até se senta no terraço ou na sala para apreciar melhor o ambiente, muitas vezes ao som de uma música e de algum delicado aroma …..

Nesta altura, já imagina o local com seus filhos, seu animal de estimação e seus parentes em um delicioso jantar. Está envolvida em   sensações que lhe remetem ao conhecido, a segurança, a proteção, ao acolhimento…,está completamente  localizada no tempo e no espaço….em um “lugar”…

foto-6-materia-serimovel-estande-6

*Foto do apartamento decorado pela Arq. Fernanda Marques – Jardim das perdizes – Flavio Westmann

Se este será o “seu lugar” é um outro capítulo…que irá iniciar, quando lentamente vai deixando o decorado em direção a um local para sentar  e conhecer os aspectos comerciais envolvidos…

Sem querer entrar em aspectos comerciais e de marketing imobiliário,  fica  aqui apenas esta analogia de como um estande é capaz de proporcionar uma viagem mágica entre o “espaço e o lugar….muitas vezes..”o seu lugar”!!!!!!!

OBS: as fotos apresentadas no texto, são fotos de arquivos pessoais de diversos estandes, são apenas ilustrativas , não possuem vínculos nem referências entres as mesmas, ordem cronológica ou outra conotação que não seja ilustrar o texto acima….

Arq. Flavio Erwin Westmann para “serimovel” 03/11/2016