Arquivo da tag: Arquitetura Holistica

A Arquitetura como aliada do deus grego “Kairós” na vivência do tempo…

Por Arq. Flavio Westmann para SerImovel – 15/12/2017

Na antiguidade, os Gregos correlacionavam o tempo com duas divindades:   Cronos , o deus da quantidade do tempo mensurável , tal como medimos pelo nosso relógio e muito associado a toda a ideia de prazo e duração nas mais diversas abrangências e  Kairós o deus do momento adequado, do momento presente, aquele que não é marcado pela passagem uniforme e medida linear , mas está  associado com a experiência do tempo como vivência qualitativa.

E, foi lendo o livro “ Administração espiritual Do Tempo”*¹ de autoria de Anselm Grün Friedrich Assländer, onde, entre outros, descrevia um pouco sobre estes aspectos, que acabei realizando uma reflexão, incluindo questões ligadas  a Arquitetura e decidi escrever esta matéria sobre este tema.

Ora, tomando como base o aspecto de Kairós e, uma vez que, o espaço arquitetônico altera diretamente a qualidade da experiência do ser humano no seu interior, o mesmo irá influenciar, também, na maneira como percebemos a passagem do tempo  em cada ambiente.

Meu falecido tio me contou, que certa vez, durante uma viagem de negócios aos Estados Unidos, mais precisamente a cidade de Las Vegas foi conhecer um cassino e, ao sair do mesmo, percebeu que havia se passado mais de 48 horas, ou seja, perdeu completamente a noção cronológica do tempo. É fato, que estes ambientes, são esteticamente (entre outros artifícios) criados exatamente com o propósito de enganar o Deus Cronos do tempo…

Estamos falando, portanto, que podemos através da qualidade de um espaço, alterar de forma significativa a apreensão temporal de uma pessoa.

The new Louvre museum , by Gabriel Jorby  - Fonte : https://www.flickr.com/photos/gabyu/411459533/in/photostream/

Sabemos que, determinados elementos físicos como a luz, influem biologicamente em nossos relógios internos e que a manipulação das aberturas dos espaços e a iluminação artificial  influenciam nos ciclos de atividade e repouso dos usuários.

Entretanto, podemos ir muito mais além, pois a quantidade  de aspectos e fatores que alteram substancialmente a nossa experiência em uma edificação são muitos,  e podemos citar alguns como a altura do pé direito*², as cores, as formas, as texturas, a temperatura, as dimensões , o cheiro, o som, os objetos e muitos outros , alguns mais ou menos subjetivos.

Com certeza, todos, já experimentamos aquela sensação de ”nossa que lugar agradável, nem percebi o tempo passar, ficaria aqui o dia todo ” , ou ainda, ”puxa, não via a hora de ir embora daquele local, o tempo não passava ”

Em alguns espaços institucionais mais emblemáticos, como templos, hospitais, prisões,  escolas e museus, estas questões são mais facilmente evidenciadas, mas elas estão presentes em todos os tipos de ambientes.

Mix de Fotos antes e após uma reforma do hall de um condomínio na Vila Madalena – SP , Arq. Flavio Westmann*  -  Como a alteração dos elementos de luz, cor, textura e  objetos influencia nos moradores a qualidade da vivência e percepção do tempo no novo espaço.

Evidente, que temos de incluir a atividade para a qual determinado espaço foi concebido e que é justamente a habilidade da manipular os vários elementos arquitetônicos já citados para determinada finalidade que  irá resultar em uma maior ou menor qualidade e apreciação do momento vivido no interior de um local.

Portanto, também, podemos incluir nesta temática aquela sensação ”nossa, estava tão concentrado em determinada atividade que nem percebi o tempo passar”. Isto denota a presença do aspecto do deus Kairós , e que, algumas correntes da psicologia, também, citam como estar em “flow”

Seria difícil estar em “flow”, desenvolvendo uma atividade em um local feio, desconfortável, sem ergonomia, escuro ou inadequado à atividade.

*4 Mix de Imagens extraídas da série britânica Black Mirror

Intrigante, é que podemos alterar através do espaço a percepção do tempo e, dentro desta ótica poderíamos  pensar, também, na Arquitetura como “janelas dimensionais de tempo” e desta forma, sob uma visão mais holística,  encontrar muitas aplicações para esta  abordagem.

Se incluirmos, nesta visão, todas  as recentes inovações tecnológicas, onde através de simulações 3D, pode-se percorrer espaços e locais projetados, reais ou fictícios , ou, ainda,  vivenciar cidades inteiras em modelagens virtuais, estamos falando, então, de uma nova era de  aplicações e funções para a Arquitetura, onde a percepção de tempo e espaço se misturam e poderão  atingir dimensões incríveis…

Um cenário de possibilidades, tal qual em alguns episódios da famosa série britânica “Black Mirror” *5, onde toda esta interação de tecnologia, mundo virtual e relações humanas é levada ao extremo e extrapolam qualquer imaginação…, mas que tomam  por modelo tecnologias iniciais já existentes atualmente.  (para quem gosta de série e tecnologia vale a pena assistir)

Enfim, visualizar a Arquitetura como integrante da percepção do “tempo”, além da já consagrada percepção do “espaço” , bem como da  participação cada vez mais ativa da mesma em novos modelos e universos dimensionais, onde estes elementos se cruzam em conotações outras cada vez mais  arrojadas é consagrar a mesma como uma grande aliada do deus Kairós …

Arq. Flavio Erwin Westmann para “serimovel”  15/12/2017

Referências/Citações/outros:

 Administração Espiritual do Tempo/  Anselm Grün Friedrich Assländer ; trad Paulo F. Valério. – Petrópolis, RJ : Vozes, 2010

 Pé Direito :é uma expressão da língua portuguesa muito utilizada em arquitetura, engenharia e em construções em geral, que indica a distância do pavimento ao teto.

 “flow” : Flow é um termo que vem do inglês Fluir e que pode ser traduzido como “Estado de Fluxo” ou “Experiência de Fluxo” O conceito de Flow  foi desenvolvido na década de 70 pelo psicólogo Mihaly Csikszentmihalyi, PhD e professor da Universidade de Chicago, para designar as experiências ótimas de fluxo na consciência.

*4 Mix de Imagens extraídas da série britânica Black Mirror

*5  Black Mirror é uma série de televisão britânica antológica de ficção científica criada por Charlie Brooker e centrada em temas obscuros e satíricos que examinam a sociedade moderna, particularmente a respeito das consequências imprevistas das novas tecnologias.Fonte : Wikipédia

“Do design orgânico a arquitetura viva”, uma porta para o futuro…

Por Arq. Flavio Westmann para SerImovel – 03/07/2017

* Mix de Fotos extraídas do Trabalho de Neri Oxman

Abrigar o ser humano sem desabrigar nosso planeta, sempre foi, e, hoje, mais do que nunca, é uma das questões principais da  Arquitetura…

Alguns Arquitetos, em suas vertentes filosóficas, foram, ainda mais longe, ao  situar o homem e o seu ambiente construído, como partes de um mesmo elemento, em uma dança integrada, orgânica, onde aspectos de integração não só deveriam estar em harmonia com a  natureza local,  ambiental e  com os materiais, mas, acima de tudo com condições  internas e psicológicas do individuo,  isto para não falarmos “espirituais” como pregava Rudof Steiner ,  fundador da Antroposofia em sua  Arquitetura Antróposófica no início do século.

Arquitetos com pensamentos “orgânicos”

 

Sempre considerei estas abordagens e suas influências na Arquitetura muito intrigantes e, já em 1993, durante minha formação acadêmica, explorava o tema em  trabalhos de graduação sob a forma de pesquisa (“WESTMANN, Flavio Erwin . Arquitetura Holística. 1993. TGI,Mestrado(F.A.U Mackenzie/USP, São Paulo ) e aplicação em projetos urbanos.(Estudo para o Gremio Recreativo Escola de Samba Vai-Vai).

O que, nesta época, eu e, muito provavelmente, a maioria dos mortais, não poderíamos imaginar é a  grande revolução científica dos dias atuais.

Na última década, com a conjunção do desenvolvimento da tecnologia da informação, da biologia sintética e da engenharia de materiais, um grupo de pesquisadores do MIT está desenvolvendo, o que seria a concretização máxima da utopia da aproximação da  Arquitetura com elementos orgânicos e que poderá ser o início de uma edificação “viva”, orgânica, capaz de crescer no espaço e no tempo e se adaptar a condições ambientais e externas.

Sob esta ótica, estamos embarcando no marco inicial de uma nova era na área  de se pensar, criar e construir e, que engloba muitas áreas do conhecimento e,  que, aqui, de maneira “tímida”, vou tentar abordar um pouco, mais especificamente sob o aspecto do futuro no Design e na Arquitetura, tomando como referência o trabalho que a Arquiteta e pesquisadora do MIT(Massachussets Institite of Tecnology), Neri Oxman e seu grupo de pesquisa vem desenvolvendo.

* Mix de Fotos extraídas do Trabalho de Neri Oxman – “Projetando na intersecção entre tecnologia e biologia” – Ted Talk com a Arquiteta e Designer Neri Oxman

Da micro escala à escala de construção, Neri Oxman imagina e cria estruturas e objetos inspirados, informados e projetados por, para e com a natureza.*1

Neri Oxman cria projetos que inauguram a próxima revolução do edifício, construindo produtos que transcendem peças e montagens. Chefe do grupo de pesquisa da “Mediated Matter”(Matéria mediada) no “MIT Media Lab”, arquiteta e designer, ela lidera a busca de maneiras pelas quais as tecnologias de fabricação digital interagem com os ambientes naturais e o mundo biológico. A abordagem de Oxman, denominada “Ecologia de materiais”, abrange biologia, computação, materiais e fabricação digital. Suas obras estão incluídas em coleções permanentes em museus em todo o mundo, incluindo o MOMA, o Centro Pompidou, o Boston MFA e a Smithsonian Institution. *1

“Mediated Matter”(Matéria mediada) *2

Como as tecnologias digitais e de fabricação, mediam a matéria e o meio ambiente para transformar radicalmente o projeto e a construção de objetos, edifícios e sistemas. *2

O grupo da Matéria Mediada concentra-se na natureza inspirada no design e no design inspirado na natureza. Realizamos pesquisas na intersecção de design computacional, fabricação digital, ciência dos materiais e biologia sintética e aplicamos esse conhecimento para projetar através de escalas da micro para a escala de construção. Projetamos e criamos  ferramentas de fabricação de design e estruturas biologicamente inspiradas, com o objetivo de melhorar a relação entre ambientes naturais e criados pelo homem. Nossa área de pesquisa, intitulada Ecologia de materiais, integra estratégias de busca de formas computacionais com fabricação de inspiração biológica. Esta abordagem de design permite a mediação entre objetos e ambiente; Entre seres humanos e objetos; E entre humanos e meio ambiente. Nosso objetivo é melhorar a relação entre ambientes naturais e criados pelo homem, obtendo altos graus de personalização e versatilidade de design, integração de desempenho ambiental e eficiência de materiais. Buscamos estabelecer novas formas de design e novos processos de prática material na interseção de informática, engenharia de materiais, design e ecologia, com aplicações amplas em múltiplas escalas.*2

* Mix de Imagens extraídas do Trabalho de Neri Oxman no MIT Media Lab – Instituto de Tecnologia de Massachusetts – “Projetando na intersecção entre tecnologia e biologia” – Ted Talk

Em uma de suas experiências, junto sua equipe do MIT Media Lab ,produziu um novo material, cuja base é a quitina, o segundo mais abundante biopolímero no mundo, com cerca de 100 milhões de toneladas produzidas a cada ano por organismos tais como camarões, caranguejos, escorpiões e borboletas. Com o ajuste de suas  propriedades e impressão 3D em gramaturas variadas foram geradas  estruturas multifuncionais  100 % recicláveis a partir de uma única parte. Ainda, com o auxilio de colaboradores em Harvard e no MIT, as bolhas, que se formaram como subproduto do processo de impressão, foram usadas para conter micro-organismos fotossintéticos, que surgiram em nosso planeta há 3,5 bilhões de anos, bactérias geneticamente modificadas para rapidamente extrair carbono da atmosfera e convertê-lo em açúcar.

“Pela primeira vez, fomos capazes de gerar estruturas que seriam uma transição tranquila de viga para malha, e se for dimensionado ainda maior, em janelas. Uma árvore frutífera. Trabalhar com um material antigo, uma das primeiras formas de vida no planeta, com muita água e um pouco da biologia sintética, fomos capazes de transformar uma estrutura feita de cascas de camarão em uma arquitetura que se comporta como uma árvore. e aqui está a melhor parte: objetos projetados a biodegradar, coloque-os no mar, e eles vão nutrir a vida marinha; coloque-os no solo, e eles vão ajudar a crescer uma árvore.” *3

* Mix de Fotos extraídas do Trabalho de Neri Oxman
(Foto canto superior dir: Photo By Michel Figuet) Foto canto inf. esq: Photo by Michel Figuet;
Design Neri Oxman; 3D Printed by Stratasys)

Outro projeto junto a sua equipe foi o estudo para a criação de roupas especiais para viagens interplanetárias através da combinação de dois micro-organismos que nunca haviam se encontrado na natureza: a cianobacteria, presente nos oceanos e lagoas de água doce e o E. Coli, bactéria que habita o intestino humano. Um converte a luz em açúcar e o outro o converte em biocombustível. Através de impressão 3D Imprimiram canais, a fim de controlar o fluxo destas culturas bacterianas líquidas e criaram uma espécie de sistema digestivo fotossintético para vestir.

Também, projetaram uma cadeira acústica, imprimindo, em uma superfície de padrão irregular, 44 propriedades diferentes, variando em rigidez, opacidade e cor, correspondente a pontos de pressão no corpo humano. Assim, inspirados na natureza criaram uma cadeira que seria tanto estrutural, confortável e também absorveria o som.A sua superfície, como na natureza, varia a sua funcionalidade, não pela adição de um outro material ou outra montagem, mas, contínua e delicadamente, variando a propriedade do proprio material.

Segundo Neri Oxman “ No final, é claro que a incorporação da Biologia Sintética em produtos impressos para microbiomas usáveis permitirá a transição de projetos inspirados pela natureza, para projetos feitos com e pela natureza, possivelmente projetando a própria natureza”

* Mix de Fotos extraídas do Trabalho de Neri Oxman

Em outra de suas experiências, conseguiram criar um volume arquitetônico, Intitulado “ Silk Pavillion”, através da reorientação e do controle  do padrão do trabalho de bichos da seda. Alterando o ambiente natural  dos mesmos,  criaram uma estrutura de alumínio e tecido e adicionaram a mesma 6,5 mil bichos de seda que acabaram criando criam 6,5 mil quilômetros de seda…

Estas experiências acima são amostras concretas de que o futuro que se aproxima, em contraste com o paradigma da revolução industrial, que decompõem tudo  em peças e componentes produzidos em massa, está muito mais próximo da visão de mundo de um sistema orgânico de vida continuo e em constante crescimento.

Ainda, segundo Neri Oxman em uma de suas entrevistas para a CNN*4 todas estas novas mudanças poderiam ser aplicadas e discutidas sobre cinco novos princípios no design, que são o crescimento sobre montagem, a integração sobre segregação,a heterogeneidade sobre homogeneidade , a diferenciação em relação à repetição e o material como novo software. Já a beleza estaria como o espírito que infunde a vida em tudo.

Um novo mundo no Design e na Arquitetura está mais próximo do que se imagina.

Impressão de objetos que responderão aos usuários, se adaptarão ao seu meio ambiente e até crescerão ao longo do tempo depois de terem sido impressos, capas de construção respiráveis, cujos poros também se contraem e se expandem em relação ao meio ambiente. Impressão de um  concreto inteligente, Inspirado pelo osso,  com densidade variável responsível a diferentes solicitações ambientais,  impressão de tecido ósseo 3D, criação de cadeiras respiráveis vivas e construção de edifícios através de enxames de pequenos robôs, muitas versões das quais, já estão presentes em nosso meio….

Essas tecnologias nos permitirão criar edifícios totalmente diferentes dos que habitamos hoje: edifícios que respondam a todas as nossas necessidades físicas, animais e também às nossas necessidades espirituais…

Talvez, em uma analogia, não teremos casas nas árvores, mas, tudo indica que as futuras habitações se comportarão  como “novas árvores” da civilização moderna…

Arq. Flavio Erwin Westmann para “serimovel” 03/07/2017

Referências:

*1 traduções da página https://www.ted.com/speakers/neri_oxman

*2 traduções da página https://www.media.mit.edu/admissions/research/groups/mediated-matter (Mediated Matter – MIT Midia Lab

*3 traduções de trecho do Ted Talking “Design at the intersection of technology and biology” https://www.ted.com/talks/neri_oxman_design_at_the_intersection_of_technology_and_biology/transcriptpágina https://www.media.mit.edu/admissions/research/groups/mediated-matter (Mediated Matter – MIT Midia Lab

*4 entrevistas Por Neri Oxman, especial para CNN

Mix de Fotos extraídas do Trabalho de Neri Oxman e seu grupo de colaboradores  do MIT.

Obs: para não modificar a interpretação de alguns conteúdos, partes de textos técnicos pesquisados foram apresentados segundo suas traduções literais.

Mix de Fotos extraídas do Trabalho de Neri Oxman e seu grupo de colaboradores.