Como utilizar o FGTS para investir em um imóvel.

Diversas são as situações em que o FGTS pode ser sacado, como demissão por justa causa, aposentadoria, dentre outras. Há situações que o trabalhador pode sacar o fundo, mesmo estando trabalhando. Neste caso, uma das situações mais comuns é para adquirir um imóvel. É importante ter muita atenção na hora de utilizá-lo para esse fim, pois existem algumas regras para o processo.

O primeiro ponto é que o FGTS não pode ser usado para investimento como a compra de um imóvel comercial, ou seja, só pode ser utilizado para compra de uma moradia. Outro ponto, atrelado a este, é que será preciso ser proprietário do imóvel para usar o FGTS. Com isso, a ideia de sacar o fundo para comprar um imóvel para um terceiro está dispensada.

Em contrapartida, o fundo pode ser somado com o fundo de um terceiro, desde que os todos os envolvidos estejam constando como proprietários da moradia.

Figura FGTS

 Regras para o uso

  • Quem pretende utilizar o FGTS não pode ter financiamento ativo no SFH (Sistema Financeiro de Habitação), em nenhum lugar do Brasil.
  • Trabalhar ou residir no município (ou região metropolitana) em que o imóvel a ser comprado se encontra.
  • Quando decidir o município que irá residir (caso trabalhe e resida em municípios diferentes), não pode ser proprietário de nenhum imóvel residencial no município.
  • O imóvel é destinado à moradia do trabalhador, logo, deve ser residencial e urbano.
  • O valor máximo do imóvel deve ser de R$ 750 mil (DF, MG, RJ e SP) e R$ 650 mil nos demais estados.
  • A pessoa que for usar o FGTS para financiar algum imóvel, deverá possuir, no mínimo, três anos de carteira assinada, não precisando ser anos contínuos.
  • Não é permitido usar o fundo quando o imóvel já foi financiado (mesmo que por outra pessoa) nos últimos três anos.
  • Também não é permitido usá-lo para regularização de parcelas atrasadas de um financiamento imobiliário, por meio de um banco.

Documentos necessários

  • Documentos pessoais, tais como, RG, CPF, carteira de trabalho, comprovante de residência e certidão de nascimento, ou caso seja casado, de casamento.
  • Documentos do imóvel, tais como, Certidão de Matrícula e cópia do IPTU. Referida certidão deve ser solicitada no respectivo CRI (Cartório de Registro de Imóveis).
  • Planta baixa, ou croqui, com as medidas do imóvel.

Quer saber mais sobre como utilizar seu FGTS? Veja em: Http://bit.ly/2p5blLu

 Texto: Equipe Blog da Lopes

Bookmark/Favorites

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-SpamFree by Pole Position Marketing

Lançamentos, Urbanismo, Cidades, Arquitetura, Design, Interiores e Mercado Imobiliário