Visões : Tendências de Arquitetura Urbana e Forças De mercado…..

cerebro pensando

Como consequência natural do desenvolvimento da maioria das cidades urbanizadas a partir da região central, os terrenos mais próximos ao que chamamos de “centro expandido” foram ficando cada vez mais escassos e sujeitos a diretrizes urbanas que dificultam a implementação de novos projetos.

Desta forma, o  terreno nestas regiões,  principal insumo da construção foi e continua a se valorizar cada vez mais.

Embora, tenhamos um mercado um pouco mais estável em relação a valorização, este é um item, cuja reposição não é automática, ou seja, é matéria prima finita, ao menos durante a vida útil de um empreendimento.(desconsiderando-se aspectos como retrofit, etc). Uma vez utilizado na construção de um edifício, aquela “porção” não está mais disponível, ou seja,  para um novo edifício em localização próxima, terá que se encontrar ou compor um novo terreno, com uma nova relação de valor. Este é um dos principais fatores de valorização do mercado imobiliário….

A localização de um empreendimento sempre foi um dos primeiros quesitos buscados pelo futuro morador.Hoje, mais do que nunca, quando se fala  em qualidade de vida e  mobilidade urbana nos grandes centros urbanos, já não se trata apenas de uma demanda, mas sim, de uma necessidade.

Conceitos como o “Walk Mobility” , nunca estiveram tão presentes……

A facilidade de acesso entre a moradia,  trabalho, lazer,  educação e cultura é sinônimo de qualidade de vida urbana.

O Incorporador, hoje, se encontra,  portanto, com a difícil tarefa de ” fechar a conta”….ou seja como produzir um empreendimento que atenda os anseios de seu futuro comprador,  supra os custos,  tenha valor agregado suficiente para ser diferenciado, fique dentro do valor de mercado e, ainda gere lucro para o investidor em um mercado, onde cada vez mais, as empresas são de capital aberto….

Muitos destes aspectos, pela força que exercem sobre a viabilidade do empreendimento, acabam por impactar diretamente a  Arquitetura dos  novos projetos e várias das  “tendências” criadas , são na verdade, um misto , entre soluções que auxiliam a ” fechar a conta ” , mas que ao mesmo tempo acabam por cair no “gosto do público” em geral….

Assiste-se, portanto, uma leva de apartamentos tipo “estúdio”, cada vez mais compactos, apartamentos com 50% da área de  “terraço gourmet” ,  e a “elegância” dos  condomínios com o térreo e área de lazer elevada, resultante das garagens acima do nível do terreno…..

Não vou nem citar nesta rápida matéria a questão da “onda verde” e “sustentabilidade” que deverá ser tópico de futuros posts….

Enfim, sejam estas soluções criadas  para o usuário final, para o mercado,  para a viabilidade,  para o acionista,  para driblar a legislação, ou, ainda, para tudo isso….., é assim que caminha parte de nossa Arquitetura, onde as variáveis para solucionar o empreendimento são muitas,  e cujas forças nem sempre são perceptíveis para a maior parte das pessoas…..mas, que aí estão e que são nestes espaços que a maioria de nós das cidades habita……

09/07/2014

por “Flavio Westmann”

Eng. Civil, Arquiteto e  Consultor Imobliário .

Carimbo FlavioEW

 

 

 

 

_________________________________________________________________________
screenhunter_1016-nov-01-10-07

 

________________________________________________________________________

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-SpamFree by Pole Position Marketing